português english

NOTICIAS

  • 22/05/2007
  • FALSO ADVOGADO é PRESO VENDENDO “KIT MALANDRAGEM”
  • Cédulas de identidade, milhares de folhas de cheque e certificados de transferência de veículos falsos foram apreendidos no escritório do falso advogado Darcy Gonçalves, 65 de idade, no centro de São Paulo. Para a polícia, Gonçalves é o líder de uma quadrilha que estava derramando cheques falsificados em São Paulo, além de vender documentos falsos para membros de facções criminosas e estelionatários.

    No momento da prisão, ele apresentou documentos falsos. Em São Paulo, a inscrição dele na OAB já havia sido cassada.

    "O criminoso saía do escritório com um kit completo do crime" - afirmou o delegado Fabio Pinheiro Lopes, do Departamento de Investigações contra o Crime Organizado (Deic). O "kit malandragem" incluía cédulas de identidade e de CPF, cheques e cartões de banco de vários bancos, além de título de eleitor, carteira de reservista e carteira de trabalho. Documentos de carros e moto em branco também eram vendidos pela quadrilha. Todos os documentos eram falsificados.

    - O que nos chamou a atenção foi a qualidade do material apreendido. A falsificação é muito boa. Nunca tinha apreendido algo tão bom. O RG tinha até marca d´água - afirmou Lopes, acrescentando que a polícia agora procura outros membros da quadrilha.

    Pelo menos seis pessoas fazem parte do esquema que tem ramificações em outros Estados, de acordo com a polícia. Entre os documentos falsos apreendidos, havia cédulas de vários estados, entre eles Rio Grande do Sul, Bahia, Ceará, Paraíba e Santa Catarina. A polícia já sabe que a gráfica que imprimia os cheques funciona em Santa Catarina.

    O falso advogado foi preso quando buscava, em uma transportadora, uma caixa - despachada de Santa Catarina - com os cheques roubados. Na encomenda foram encontrados mais de quatro mil cheques falsos em branco da Caixa Econômica Federal.

    Gonçalves está preso no 13º Batalhão de Polícia de São Paulo, em uma cela especial. (Com informações da OAB nacional).

    Fonte: Espaço Vital